18 de julho de 2009

PROCURO-ME

Vivo na eterna busca
Vivo à procura de mim
Do que fui, sou, sereiCor do textoCor do texto
O que você vê?
Vejo vários espelhos
Em nenhum percebo minha imagem refletida
Quem sabe há marcas de dentes no meu pescoço?

Sou o infinito, sou o inefável
Sou aquilo que a poesia não diz
Não vê
Não traduzCor do texto
Um muro alto, instransponível


Mas meu voo há de ser pleno

Intenso, rumo ao que não espero
Porque se espero, não voo
Eu travo
E não encontro o que quero

Sou uma carta de amor lacrada
Guardada em segredo
Esperando que alguém, talvez
Um dia abra


(Sandra Fuentes)

3 comentários:

Robson disse...

Ola Sandra
tudo bem, adoro seus poemas.
Sou o Dono da comunidade POemas e Poesias uma das maiores do orkut, a qual vc sempre que pode nos engrandece com seus lindos poemas.Gostaria de lhe fazer um convite. EStou só com uma moderadora na comunidade, com isso fica um pouco complicado de administrar, pois o pessoal cria tópicos indevidos, alguns com spans, se estiver interessada em ser uma de nossas moderadoras é só nos contactar.Indiferentemente espero que continue a enriquecer a comunidade como sempre faz.

pode entrar em contato pelo msn:

eifeelsixfive@hotmail.com

ou deixar um scrap no perfil de um dos moderadores que te reponderemos.Obrigado.

nossa comunidade:

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=71824481

J Neto, The White Cat disse...

Ao nos procurarmos inevitávelmente nos achamos, achamos amores e muitas vezes com eles as dores.
Mas como vc mesma disse a carta lacrada um dia será revelada.
Lindo poema.
Abraços do White Cat.

Marcus Baby O MÁXIMO disse...

Sandra, amei seu trabalho! Gostaria de falar com você. Pode me escrever? marcusbaby@gmail.com
Abraço e muita luz!